"Meu Deus, me dá cinco anos. Me cura de ser grande!" (Adélia Prado)

29 abril 2006

Filmografia

Trechos de filmes que falam por mim.
1. Sobre o prazer de ir ao cinema:
“A gente tem que sentar a uma distância certa da tela. Antes do filme, se fala baixinho. Eu adoro essa parte. A luz vai se apagando devagarzinho e o mundo lá fora também vai se apagando devagarzinho. Os olhos da gente vão se abrindo. Daqui a pouco a gente não vai nem mais lembrar que está aqui. A gente vai conhecer um monte de problemas que a gente não pode resolver. Só eles podem. A graça está em ver como e quando. Shhhh! Está começando!”
(Lisbela e o Prisioneiro)

2. Sobre a infância:
“Os meninos nunca deveriam dormir. Acordam um dia mais velhos. E quando vemos, eles cresceram.”
(Em busca da Terra do Nunca)

3. Sobre o amor:
“Sempre que me entristeço com o mundo penso nos portões de chegada dos aeroportos. Dizem que vivemos num mundo de ódio e ambição, mas eu não acho. Sinto que há amor em todo lugar. Nem sempre algo que valha alguma manchete, mas está sempre ali. Pais e filhos, mães e filhas, maridos e esposas, namorados e namoradas, amigos antigos... Se procurar, creio que descobrirá que o amor simplesmente está em toda parte.”
(Simplesmente amor)

4. Sobre a morte:
“Percebi que tudo é ambíguo. Até a morte. Mas eu vivo com medo. Verdade. Tenho medo dos segundos de consciência antes de você ter certeza de que vai morrer.”
(Antes do Amanhecer)

5. Sobre a vida:
“Este não é um relato de feitos heróicos. É um fragmento de um caminho percorrido (...) Já não sou mais o mesmo. Pelo menos não sou mais o mesmo por dentro.”
(Diários de Motocicleta)